Saltar para a informação do produto
  • Herzog - Stuff Out
1 de 1

Stuff Out Solutions

Herzog

Preço normal €10,00 EUR
Preço normal Preço de saldo €10,00 EUR
Imposto incluído. Envio calculado na finalização da compra.
Autor: Saul Bellow
Editora: Quetzal
Ano de Edição: 2014
Edição: 1ª Edição
Nº de Páginas: 487
Idioma: Português
Estado:  data-mce-fragment=

Livro de Bolso: Não
Sinopse:

Plano Nacional de Leitura Livro recomendado para a Formação de Adultos como sugestão de leitura. Publicado pela primeira vez há exatamente 50 anos e considerado um dos maiores romances de Saul Bellow, Herzog conta a história de Moses Herzog, intelectual de muitos conflitos e de sofrimentos emocionais e filosóficos, mas também homem de grande charme. A sua existência está a desintegrar-se em todos os domínios. Herzog falhou enquanto escritor, enquanto académico, enquanto pai, enquanto marido e amigo - perdeu a segunda mulher e o melhor amigo, que o traíram um com o outro e agora formam um novo casal. Apesar de tudo, Herzog vê-se como um sobrevivente e aplica o seu inconformismo e a sua ira na escrita de cartas (que nunca chegará a enviar) para amigos, inimigos, rivais, colegas, pessoas famosas - vivas e mortas -, e em que revela a sua invulgar visão do mundo. Uma agudíssima observação da vida pública e privada, no mais autobiográfico romance de Saul Bellow. CRÍTICAS DE IMPRENSA «Saul Bellow é o mais gratificante dos romancistas americanos (...). Neste romance, como em As Aventuras de Augie March, o melhor está nos inumeráveis pequenos episódios.» V. S. Pritchett, The New York Review of Books «Quando capta o espírito do momento e o conserva na sua prosa inesquecível, um grande romance torna-se um acontecimento da História. (...) Herzog pôr Bellow no caminho do prémio Nobel. E, em 2014, continua a ser bom por mais 50 anos.» Robert Fulford, National Post «Herzog tem outras dimensões notáveis: a descrição de Chicago como cidade imensa, amorfa, decadente; as vozes e os cheiros das gerações antigas; os esplendores e indignidades do corpo humano; o hipotético regresso ao campo; mas o aspecto decisivo é a paródia triste a um exacerbado sentimento moral num mundo que se supõe enfeudado à liberdade e ao conhecimento.» Pedro Mexia, Expresso «Lê-se Bellow pelo prazer da frase, pela composição única da densidade das ideias, supremas capacidades de descrição física e musicalidade plástica do ritmo (fruto da audição de milhares de discos enquanto escrevia – dizia ele). Bellow, estilista sofisticado, é um ruminador da inadequação do homem (moderno) ao mundo.» Filipa Melo, Sol «Herzog é um longo romance cómico – situado algures entre a ironia sonolenta de Leonard Cohen e o chutzpah neurótico de Woody Allen – em que o protagonista transmite a imagem perturbadora da instabilidade mental, com estados de euforia que se intercalam com o desespero da solidão e a depressão que a lembrança das traições – da ex-mulher, dos amigos, da família – lhe provoca.» Helena Vasconcelos, Público «É romance psicológico, mas não só. Forma e conteúdo fundem-se plenamente, como se o narrador se confundisse com o que narra.» Luís Ricardo Duarte, Time Out